O que perdeu na Trilha de Testes no The developer’s Conference – TDC Floripa 2017

E na primeira semana de maio de 03 a 06/05/2017 aconteceu a edição do TDC de Florianópolis.

O TDC ou The Developer’s Conference é um evento de tecnologia que reúne diversos profissionais de TI com palestras presenciais e online divididas por trilhas. Cada trilha foca em um determinado assunto, por exemplo, trilha de Android, Testes, Arquitetura, Agile, etc. Além disso, ocorrem workshops e a Stadium agrupa temas de diversas trilhas do mesmo dia onde todos inscritos nas outras trilhas podem participar.

Comentarei um pouco da trilha de Testes e palestras que presenciei. As palestras selecionadas para essa edição estavam muito boas.

O Jeremias Araújo veio de João Pessoa para comentar um case de estimativa de custo e esforço em testes de software, uma estimativa de teste baseada em ponto de função.

Figura 1: Jeremias Araújo na palestra "Estimativa de custo e esforço em Teste de Software"

Figura 1: Jeremias Araújo na palestra “Estimativa de custo e esforço em Teste de Software”

O Yuri Luiz da Silva Reis falou sobre um case de alimentar status page com testes automatizados, mostrando um pouco do ciclo de desenvolvimento que trabalha.

aa

Figura 2: Yuri Luiz na palestra “Não seja o último a saber: alimentando sua status page com testes automatizados”

A Edlaine Zamora e Beatriz Makiyama levaram um case de teste de performance com JMeter, como criar e executar testes em aplicações web e como interpretar seus resultados, mostrando na prática a criação de um teste simples na ferramenta.

Figura 4:

Figura 3: Edlaine e Beatriz na palestra “Teste de performance com JMeter: como criar e executar os testes em aplicação web e como interpretar seus resultados”

O Elias Nogueira trouxe o tema em torno do que seria o testador técnico, comentando a tendência de perfil do testador atual, a dosagem de entender de negócio e da parte técnica também com testes automáticos e cultura do DevOps. Levou muitas dicas legais e um exemplo prático de um modelo de automação.

Figura 4: Elias Nogueira

Figura 4: Elias Nogueira na Stadium com a palestra “O testador técnico”

Frederico Moreira apresentou o tema “Tudo que você sempre quis saber sobre testes de APIs REST, mas que nunca te contaram” mostrando algumas ferramentas que já teve contato para automatizar testes de APIs REST voltados para frameworks diferentes como Postman e REST-assured que são bem comentados para automatizar testes de APIs, inserindo algumas dicas também no meio da apresentação.

Frederico Moreira

Figura 5: Frederico Moreira na Stadium com a  palestra “Tudo que você sempre quis saber sobre etstes de APIs REST, mas que nunca te contaram…”

O Ricardo Caldeira levou um case a respeito de “Como falhar maravilhosamente com 100% de cobertura”, mostrando alguns exemplos de testes automáticos que não estão testando nada e como um code refactoring pode ficar mais custoso para manutenção.

Ricardo Caldeira na palestra "

Figura 6: Ricardo Caldeira na palestra “Como falhar maravilhosamente com 100% de cobertura”

E por fim a Juliana Fernandes e Pedro comentaram um pouco sobre testes de contrato em APIs com o tema “Acabando com as quebras de contrato nos seus micro-serviços”, também foi um case de como começaram a olhar para esse assunto após um caso ocorrido em projetos que atuaram.

Juliana

Figura 7: Juliana Fernandes e Pedro na palestra “Acabando com as quebras de contrato nos seus micro-serviços”

Eu gosto sempre de ressaltar como adoro e como é válido participar desse tipo de evento. E um TDC é sempre TDC! Sempre existe algo a agregar em nosso conhecimento.

Um ponto que achei curioso, foi que em praticamente todas palestras em algum momento fizeram menção ao BDD (Behavior Driven Development ou Desenvolvimento Guiado por Comportamento), no entanto, quando um dos palestrantes perguntou quem aplicava, foram poucas as pessoas que se manifestaram.

Mas no geral, além do conteúdo das palestras que podem ser aproveitadas, às vezes, alguma palavra, alguma ferramenta que não conhece, pode sempre despertar a curiosidade de aprofundar-se no assunto. Além disso, poderá ser aplicado em seu contexto/processo de desenvolvimento.

Outro ponto a destacar é a oportunidade de trocar ideias com outras pessoas da mesma área, interagir, seja no intervalo de palestras ou no coffe-break. Não poderia deixar de comentar sobre o Happy Hour, que não tenha dúvidas que também falamos de tecnologia.

a

Figura 8: Galera interagindo no Happy Hour

coffe

Figura 9: Galera interagindo no coffe-break

No encerramento, uma frase que marcou no dia, foi que a Yara Sengre, uma das organizadoras do TDC, comentou, que de alguma forma todos saíram dali com alguma oportunidade, e creio que ela está certa.

Figura 10: Foto final do encerramento do TDC no dia 05

Figura 10: Foto final do encerramento do TDC no dia 05

O Danilo Porcelani, desenvolvedor aqui na MATERA Systems de Maringá, também marcou presença e gostaria de deixar sua visão do evento:

 “Mais um vez tive o privilégio de participar do TDC, um evento sensacional que deveria estar na agenda de todo profissional da nossa área. Foram 4 dias de imersão no mundo da tecnologia, onde além das palestras ótimas sobre os mais diversos assuntos o evento consegue proporcionar a troca de conhecimento de uma forma incrível. Seja durante as trilhas, no almoço ou mesmo no happy hour no fim do dia, a possibilidade de conhecer e interagir com profissionais da área da TI é certamente o que faz o diferencial do evento. Palestras sempre conseguimos ver online mas discutir soluções, saber o que as outras empresas estão usando e ter uma visão clara para onde o mercado está indo é só estando lá mesmo.”

Uma foto representando a MATERA não poderia faltar

Uma foto representando a MATERA não poderia faltar

Além da nossa percepção, trago pra vocês a visão de duas feras que já participaram e coordenaram o evento da trilha de testes em TDC’s:

Fernando Santiago:

“O ano era 2011 quando tive a oportunidade de assistir minha primeira Trilha sobre Testes no TDC – Florianópolis, naquele ano pouco se falava em qualidade de software no Brasil e hoje a comunidade de Teste é a que mais se destaca nesse evento que acabou se tornando uma das principais referências sobre Tecnologia do país.”

Elias Nogueira:

“Temos a Trilha de Testes há 6 anos no TDC com minha coordenação todo este tempo, mas a melhor coisa que eu esperava aconteceu: a comunidade local ser a dona da Trilha! É excelente ver que a comunidade local (GUTS-SC) abraçou a Trilha de Teste e promoveu um excelente evento nesta última edição, desde a seleção de palestras até a atenção aos participantes da trilha.”

Se você ainda não conhece o The Developer’s Conference ou já conhece e está disposto a compartilhar com a comunidade os seus conhecimentos aí vai a dica. De 11 a 15 de Julho, na Faculdade Anhembi Morumbi será realizada mais uma edição do TDC São Paulo, é a sua chance de fazer parte desse evento único.

O call4papers para submissão de palestras já está disponível, fique atento para não perder o prazo!

Nos vemos lá!

Referências

[1] https://www.linkedin.com/company/the-developer’s-conference

[2] http://www.thedevelopersconference.com.br/tdc/2017/index.html

[3] http://www.thedevelopersconference.com.br/tdc/2017/florianopolis/trilha-testes

[4] As figuras do post são fotos tiradas no dia do evento

[5] http://www.thedevelopersconference.com.br/tdc/2017/saopaulo/call4papers

Por ARIANE FERREIRA IZAC

Analista apaixonada por testes, dançarina, corredora e colecionadora de viagens! Filha de peixe (jornalista) peixinho (blogueira) é. Meu grupo no LinkedIn só poderia ser "Diário de uma paixão: Teste de Software"

Postado em: 17 de maio de 2017

Confira outros artigos do nosso blog

Falando sobre Teste de Intrusão (ou PenTest)

03 de abril de 2018

Jacqueline Costa

Protractor – Testes automáticos end-to-end para aplicações em Angular

07 de dezembro de 2017

Jacqueline Costa

Testes em Node.js

04 de dezembro de 2017

Alan Cesar Elias

Automatizando Testes de Contrato API REST – Parte 1

30 de novembro de 2017

Monise Costa

Deixe seu comentário